Início / Guia prático / Compras / Artesanato alentejano, Artesanato do Alentejo em Évora
artesanato alentejano evora
asdfasdf

Artesanato alentejano, Artesanato do Alentejo em Évora

Evora Artesanato Alentejano
Artesanato Alentejano, Rua 5 de outubro

O artesanato alentejano é a recordação perfeita para levar para casa quando visitar Évora. Para decorar a sua própria casa ou oferecer. Qualquer peça que comprar de artesanato do Alentejo vai fazê-lo lembrar do que viu e sentiu quando cá esteve.

Como com qualquer outro tipo de artesanato, no Alentejo os ofícios passaram de geração em geração até aos dias de hoje. São tradições muito puras que, normalmente, estão relacionadas com a construção manual de objetos do dia-a-dia de antigamente.

Comprar artesanato do Alentejo como recordação de Évora é bastante fácil porque existem lojas dedicadas exclusivamente a dar a conhecer a forma de vida dos alentejanos da altura dos meus avós.

Os ofícios do artesanato alentejano

Embora haja artesanato comum a praticamente todas as regiões do Alentejo, os diferentes ofícios são característicos de povoações ou zonas específicas.

Olaria e Pintura

São bastantes os lugares onde a olaria enquanto artesanato tem expressão por todo o Alentejo. Mas existem grandes centros de olaria mais específica.

  • Flor da Rosa (Crato) – Existe uma escola de olaria que ensina a fazer, entre outras, 14 peças utilitárias características (caçarola, cantil, tacho com tampa, frigideira, assadeira oval, alguidar, caldeirão, fogareiro, panela de uma asa, panela de duas asas, chocolateira, cântaro, barril, talha).
  • Nisa – A Olaria Pedrada de Nisa é única no Alentejo devido a este artesanato em que o barro vermelho é decorado com desenhos incrustados com pequenas pedras de quartzo da Serra de S. Miguel.
  • Estremoz – O forte da histórica cidade de Estremoz é aquilo a que se chama Barrística, com destaque para os santos de nicho e os presépios com figuras religiosas e profanas. Para além destes, são também tradicionais os assobios, os “rouxinóis”, os ganchos de fazer malha, os napoleões (soldados com fardas do tempo das invasões francesas), as “primaveras” (mulheres de barro vestidas de dançarinas), os “pretos” de saias vermelhas e uma figura de mulher com os olhos vendados querendo simbolizar que “O amor é cego”.
artesanato evora olaria alentejo
Artesanato Alentejano – olaria

Em relação à olaria mais utilitária e decorativa, são bastantes as povoações onde os oleiros se dedicam a moldar o barro. Mas as principais são Viana do Alentejo, Redondo e S. Pedro do Corval. Esta última é mesmo o maior centro oleiro da Península Ibérica. As olarias do Alentejo costumam estar abertas ao público. Não deixe de visitar uma ou várias para saber como se cria uma peça de barro e acompanhar todo o processo desde a moldagem passando pela cozedura no forno e até à decoração final. Leve o artesanato alentejano e utilize-o no dia-a-dia.

Peças de couro ou pele

Dos tempos em que o trabalho no campo se fazia com a ajuda de animais e em que não havia produtos sintéticos. Entre alguns dos objetos que hoje são considerados artesanato do Alentejo feitos de couro estão arreios, selas, malas, botas e sapatos, vestuário para o dia-a-dia e para caçadas, chinelos forrados (tenho uns bem quentinhos que me aquecem os pés nos dias frios de inverno).

As fábricas de curtumes mais importantes destas peças de artesanato alentejano estão em Terrugem e Nossa Senhora de Machede. Uma visita permite conhecer como se produzem objetos de pele à mão, embora as máquinas já deem uma ajuda. Se preferir conhecer artesãos mais pequenos, visite Alter do Chão e Alcácer do Sal (correaria) ou Cuba e Almodôvar (calçado).

Tapetes, mantas e tapeçarias

Quem já ouviu falar em artesanato alentejano também ouviu falar das mantas alentejanas, feitas com fios de lã de ovelha branca e negra em teares. Lembro-me de ver estas mantas nas casas dos meus avós para cumprirem o duplo objetivo de decorar e aquecer. Hoje em dia, a maioria das pessoas usa-as mais para decorar paredes, camas ou mesmo o chão.

artesanato alentejo evora
Artesanato Alentejano – Mantas

As mantas são um dos produtos mais conhecidos do artesanato do Alentejo, especialmente as tradicionais. Mas agora já se utilizam as mesmas técnicas em outros materiais (como o algodão) para fazer cortinas, capotes, ponchos, sacos, almofadas, mantas de viagem, individuais, meias, toalhas, etc..

Reguengos de Monsaraz e Mértola estão entre os locais onde a tapeçaria alentejana ainda continua a ser feita pelos artesãos. Isto, claro, sem esquecer Arraiolos.

Os famosos Tapetes de Arraiolos existem desde o século XV, quando famílias mouriscas foram expulsas de Lisboa e se estabeleceram nesta vila do Alentejo. Como antigamente, ainda hoje se veem bordadeiras à porta de casa a fazer o tradicional ponto de Arraiolos.

Ao visitar Arraiolos durante todo o ano poderá ver as bordadeiras e as lojas de tapetes. Mas venha especialmente em junho para entrar na festa “O Tapete está na Rua” e conhecer as tradições desta vila, visitar exposições, subir ao original castelo circular, circular pelas estreitas ruas e entrar nas igrejas. Não se esqueça também de provar os característicos pastéis de toucinho.

Tapeçaria de Portalegre

Este tipo de tapeçaria é completamente diferente da que é feita no resto do Alentejo. É mural decorativa e segue uma técnica particular conhecida como “ponto de Portalegre”, cheio de pormenor e permitindo reproduzir com total fiabilidade o desenho. Por isso, foi usado para a reprodução de pinturas de Almada Negreiros, Vieira da Silva ou Vítor Pomar.

Conheça a história deste importante representante do artesanato alentejano no Museu Guy Fino, em Portalegre, no Palácio Castel-Branco.

Artigos em cortiça

artesanato evora alentejo cortica
Artesanato Alentejano – cortiça

Portugal é o maior produtor mundial de cortiça. Grande parte desta vem dos sobreiros e azinheiras do Alentejo, pelo que não estranha que haja objetos de artesanato alentejano feito com este material.

De cortiça se fazem figuras que representam os trabalhos no campo de antigamente, os tarros para levar a comida para o campo, os típicos “cochos” de cortiça (por onde eu bebi tantas vezes quando era mais jovem).

Hoje em dia, para além do tradicional, também pode encontrar todo o tipo de peças em cortiça produzidos mais em série e não por artesãos. Mas nem por isso deixam de representar um património que é muito alentejano. Em algumas lojas de recordações de Évora há artigos de cortiça como guarda-chuvas, presépios, malas, leques, colares e pulseiras, porta-chaves e mesmo calçado. Passe por lá!

Móveis Alentejanos

artesanato alentejano evora mobiliario
Artesanato Alentejano – mobiliário miniatura

Os móveis típicos do artesanato alentejano são pintados com tinta de esmalte e têm fundos brancos, azuis, verdes ou vermelhos. São decorados com pinturas de flores e laços coloridos.

São muito bonitas, todas estas peças, das quais se destacam camas, escrivaninhas, cadeiras com assento em buinho (palha), guarda-fatos, banquinhas de cabeceira, espelhos e arcas. Lembro-me de ter, quando era pequeno, uma destas cadeiras, pequena e branca, decorada com flores azuis.

Vestuário tradicional alentejano

Antigamente, para se agasalhar, quem andava a guardar gado no campo usava os tradicionais capote alentejano, peliça e samarra e safões. Normalmente eram feitos em pele de ovelha. Em Évora, ainda é possível arranjar exemplares deste vestuário típico, especialmente dos capotes alentejanos.

Mais artesanato alentejano e outras artes do Alentejo

Não menos importantes do que os tipos de artesanato referidos anteriormente, ainda se destacam outras artes.

  • Azulejaria (Évora)
  • Cabaças (Évora)
  • Peças em cerâmica (Évora)
  • Cutelaria (Azaruja)
  • Peças em chifre (Nossa Senhora de Machede)
  • Chocalhos (Alcáçovas)
  • Mobiliário e objetos decorativos em ferro forjado (Campo Maior e Ferreira do Alentejo)
  • Cestaria (um pouco por todo o Alentejo)

Artesanato alentejano hoje em dia

O Alentejo valoriza bastante as origens e tradições do seu artesanato mas também aprecia a mudança e o moderno. Nos dias de hoje, são muitos os artesãos pertencentes a uma nova geração que inova e ganha prémios.

Um dos exemplos de “novos” artesãos alentejanos é Tiago Cabeça e a sua “Oficina da Terra” com trabalhos deslumbrantes e divertidos em terracota. O seu sucesso tem sido tanto que criou, perto de Arraiolos, a Aldeia da Terra (a “Aldeia mais caricata de Portugal”). Este jardim de esculturas fabuloso tem imensos detalhes e uma bela vista para o castelo de Arraiolos.

O projeto é composto por milhares de pequenas esculturas em terracota, ocupando cerca de 3 mil metros quadrados ao ar livre (dimensões de meio campo de futebol). Todos os dias há peças novas que vai poder ver a ser moldadas ou mesmo sujar as mãos e produzir artesanato alentejano contemporâneo. Não se esqueça de levar as crianças e visitar a aldeia, aberta todos os dias.

Ao longo do ano, são muitas as feiras de artesanato no Alentejo para visitar e comprar uma recordação. Informe-se das datas nos postos de turismo das vilas e cidades, a começar pela de Évora.

Outra forma de ver os locais onde algumas destas peças são feitas é aceitar o nosso convite para fazer uma visita guiada no Alentejo. Aceite uma das nossas ofertas ou imagine o seu percurso e entre em contacto connosco.

Booking.com