Início / Visitas / Igreja da Graça
Igreja Graca Evora
Fachada da Igreja da Graça

Igreja da Graça

Igreja Graca Evora
Fachada da Igreja da Graça
A Igreja da Graça, ou Convento de Nossa Senhora da Graça, foi o primeiro monumento de arquitetura renascentista da cidade de Évora. Situa-se no Largo da Graça e foi projetada pelo arquiteto Miguel Arruda e Nicolau de Chanterene.

Foi considerada Monumento Nacional em 1910 e, como outros monumentos, contribuiu certamente para a classificação Évora Património Mundial UNESCO.

As obras do Convento de Nossa Senhora da Graça tiveram início no ano de 1524. No entanto, sabe-se que em 1511 já existia neste local um convento pertencente à Ordem dos Eremitas Calçados de Santo Agostinho. Este novo edifício daria, mais tarde, abrigo àquela comunidade de frades. Os seus mecenas foram D. João III e o Bispo D. Afonso de Portugal, seu primo.

A Igreja da Graça é de granito local e os seus clássicos volumes arquitetónicos deixam perceber todos os elementos renascentistas. Tem uma planta longitudinal e irregular e no seu interior existe uma nave única, de quatro tramos. Destacam-se, na zona do altar-mor, as janelas em mármore de Estremoz.

O aspeto exterior é bastante interessante e original no que diz respeito à arquitetura portuguesa de então. O desenho ousado do claustro, a fachada e os relevos da capela-mor causaram grande impacto na época.

A frontaria de tipologia conventual perdura na portaria, no refeitório e no grande dormitório. As paredes que formam a escadaria que dá acesso aos dormitórios são forradas por painéis de azulejos barrocos, os mais antigos de 1681, os mais recentes, do tempo de D. João V.

Igreja Graca Evora
Anjinhos no topo da igreja
A admirável fachada quinhentista da Igreja da Graça é dominada pelas linhas do templo agostiniano. Esta fachada de influência italiana, construída na época de D. João III, é constituída por dois registos e pano único. No registo inferior apresenta nártex com quatro colunas toscanas, suportando uma arquitrave, friso e cornija. Dos lados, mais duas colunas a suportar arquitrave idêntica.

O registo superior apresenta um frontão triangular que assenta em pilastras na continuação das inferiores e ao centro um janelão enquadrado por duas colunas jónicas adossadas. O frontão apresenta óculo, com dois anjos nas vertentes e cruz de pedra sobre uma base retangular no vértice.

Dos lados, podem ver-se quatro grandes figuras de granito, sentadas, segurando lanças de ferro: os atlantes. Estão apoiadas em quatro globos de fogo que representam “as quatro partes do mundo”, por onde os Portugueses passaram. Os atlantes destacam-se. Vai, de certeza, reparar neles.

É a essas figuras que os eborenses chamam “Os Meninos da Graça”. Aliás, se quiser perguntar direções para o edifício pergunte pela “Igreja dos Meninos da Graça”. As quatro esculturas, atribuídas por alguns a Nicolau de Chanterene, representam, de acordo com a tradição, os primeiros mártires da Inquisição em Évora.

O campanário da Igreja da Graça sobressai em toda a fachada conventual. Apresenta três olhais redondos e é rematado por um frontão triangular e ladeado por pedestais que no seu cimo têm esferas.

Igreja Graca Evora
Sinos da Igreja da Graça
Com a extinção das ordens religiosas em 1834, o Convento da Graça foi transformado em quartel. Começou então a decair e, consequentemente, a perder parte significativa de seu espólio artístico. Vários altares, imagens e sinos da igreja acabaram mesmo por ser transferidos para a Igreja de São Francisco.

A Capela da Irmandade do Senhor Jesus dos Passos da Cidade de Évora, em mármores matizados, que se encontrava no claustro da igreja, também foi transferida para a Igreja do Espírito Santo. Este estado de ruína já avançado acabaria por atingir maiores proporções em 1884, com o desmoronamento da abóbada da igreja. Perderam-se, assim, os belos painéis de azulejos que representavam cenas da vida de Santo Agostinho.

Só na segunda metade do século XX é que esta igreja viria a ser restaurada mantendo as linhas renascentistas que fazem dela uma das mais belas da cidade de Évora. Presentemente, a Igreja da Graça serve de Messe de Oficiais da guarnição de Évora, sendo a Igreja a Capelania da Região Militar Sul.

Não deixe Évora sem visitar esta bela igreja. Venha conhecer “Os Meninos da Graça” ao vivo. Tire fotografias!

Booking.com

Veja também

romanos evora casa burgos

Vestígios Romanos em Évora

Haver vestígios romanos em Évora não é algo que surpreenda. Sabia que, durante a época …